orelha de couve-flor

Orelha de Couve-Flor (ou Lutador de Jiu-Jitsu): Como Evitar ou Tratar

Se você nunca viu, pelo menos já ouviu falar da orelha de couve-flor, não é mesmo? Muito comum em quem pratica esportes de contato, como jiu-jitsu, judô, wrestling (luta olímpica e greco-romana) ou rugby, é um tipo de deformidade que nem sempre é visto como algo prejudicial, mas a verdade é bem diferente.

Afinal, por mais que pareça inofensivo e tenha se tornado uma característica marcante dos praticantes desse esporte, o não tratamento adequado pode apresentar uma série de riscos, como a porta de entrada para bactérias ou até mesmo inflamações.

Continue a leitura e entenda mais sobre o que é a orelha de couve-flor, a importância de evitar e como tratar. Confira!

O que é a orelha de couve-flor?

A orelha de couve-flor, também conhecida como “orelha de lutador de jiu-jitsu”, é um hematoma auricular causado pelo rompimento de vasos sanguíneos na região. Essa condição acontece quando a cartilagem da orelha é danificada regularmente, resultando na acumulação de sangue ou fluido entre a pele e a cartilagem.

Esse cenário resulta no inchaço e, consequentemente, na formação de uma massa que se destaca na orelha. Apesar de muitas vezes ser vista como uma marca – um marcador social que mostra que você pratica essas atividades – para um praticante desses esportes, pode causar problemas mais sérios.

orelha de lutador de jiujitsu

Por que isso acontece com a orelha?

Mas antes de entender os problemas que a orelha de couve-flor pode causar, é importante conhecer como tudo isso acontece, não acha? A lógica é simples: o contato constante da orelha com outras superfícies acaba criando essas pequenas lesões nos vasos sanguíneos que irrigam a cartilagem na região.

A partir do momento que isso acontece, o sangue acaba vazando para o espaço entre a cartilagem e a pele, resultando nessa acumulação de sangue ou fluido. Dessa forma surge o inchaço na orelha, que acaba lembrando o formato de uma couve-flor.

Como evitar a orelha de couve-flor?

Se você pratica algum desses esportes, não precisa se preocupar: existem formas de evitar que a sua orelha fique com essa deformação. Algumas dessas dicas abaixo podem ajudar!

orelha de repolho

Uso de equipamentos de proteção

Utilizar equipamentos de proteção adequados é a primeira linha de defesa contra a orelha de couve-flor. Para esportes de contato, como luta livre, judô e rugby, é importante usar protetores auriculares, já que esses acessórios ajudam a absorver impactos e minimizar o risco de traumas na orelha. Há, ainda, a opção de usar uma espécie de capacete próprio para prática esportiva, que é bastante comum no rugby.

Técnicas de treinamento adequadas

Apesar de ser um pouco mais difícil, aprender e praticar técnicas adequadas de treinamento também pode ajudar. Isso inclui aprender a cair corretamente no caso do Jiu-Jitsu e, assim, evitar situações que possam resultar em lesões na orelha, como quedas de cabeça ou choques diretos na região auricular.

Descanso e recuperação

Caso você não seja um atleta de alta performance, também pode ser necessário evitar treinos muito intensos para dar tempo suficiente para a recuperação entre os treinamentos. Afinal, se você está percebendo essa formação na região, a redução da intensidade pode reduzir os riscos de lesões no local.

Monitoramento da saúde auricular

Por fim, outro cuidado muito importante: ficar atento a qualquer desconforto, inchaço ou sensibilidade na região da orelha. Caso haja sinais precoces de trauma auricular, é fundamental buscar atendimento médico, já que receber o tratamento precoce pode evitar complicações futuras.

Quais são as opções de tratamento?

Todas as dicas acima já não servem para você? Sem problemas, existem vários tratamentos que podem ajudar a reduzir o inchaço na região e evitar que as lesões se tornem um problema maior.

Drenagem do hematoma

Para casos iniciais e menores, a drenagem do hematoma costuma ser a opção mais adequada. O procedimento não é tão complexo, é basicamente retirar o acúmulo de sangue ou fluido da orelha. É claro que isso precisa ser feito por um profissional da saúde, sempre utilizando os equipamentos adequados.

Compressão e bandagem

Após a drenagem, é comum aplicar uma compressão e bandagem na orelha para evitar que o hematoma se acumule novamente. Esse cuidado ajuda a manter a pele aderida à cartilagem, contribuindo para o processo de cicatrização adequado.

Cirurgia

Em casos mais graves, ou quando a deformidade já se tornou crônica, a cirurgia pode ser necessária. Por meio de uma cirurgia plástica, o cirurgião remodela a cartilagem auricular e remove qualquer tecido fibroso que possa ter se formado. A alternativa é uma forma eficaz para restaurar a aparência normal da orelha.

Fisioterapia e cuidados pós-operatórios

Mesmo após a cirurgia, ainda é importante seguir alguns tratamentos e a fisioterapia pode ser recomendada para ajudar na recuperação. Isso pode incluir exercícios de alongamento e fortalecimento para garantir que a orelha mantenha sua forma correta. Além de manter a área limpa e evitar pressões adicionais em novos treinos, por exemplo.

Por que é importante tratar a orelha de couve-flor?

Especialmente entre os lutadores de jiu-jitsu, a orelha de couve-flor acaba representando também que a pessoa é um praticante do esporte, o que estimula a manutenção dessa marca. O problema é que essa característica marcante não deve ser a razão para não seguir com o tratamento adequado.

Afinal, se não receber o tratamento adequado, essa deformidade pode se tornar uma porta de entrada para bactérias, aumentando o risco de infecções, sendo uma delas a condrite ou pericondrite, inflamações que são muito sérias.

A condrite, por exemplo, é uma inflamação dolorosa da cartilagem, enquanto a pericondrite é uma inflamação da pele e tecido ao redor. E ambas as condições podem ser graves e podem levar a complicações mais sérias se não forem tratadas a tempo.

Outro aspecto importante é que o acúmulo de pus também pode acontecer, piorando a situação e exigindo intervenção médica imediata. A drenagem, por exemplo, alivia a pressão e evita a formação de tecido fibrótico, que é característico da orelha de couve-flor, uma medida simples que pode evitar problemas de saúde mais sérios.

Mas além da orelha de couve-flor, existem outras características marcantes que muitas vezes podem acabar criando problemas relacionados à saúde. Então continue a leitura e conheça todos os tipos de orelhas e suas deformidades!

Artigo revisado pelo: Dr. Marcelo Assis
CRM: SP 93498  

Cirurgias de orelhas

Tire suas dúvidas sobre cirurgias de orelhas

Preencha os campos a baixo e fale conoso 



    Outras pessoas também leram

    Preencha os campos a baixo para iniciar sua ligação gratuitamente.





      Atendimento Orelhinha

      Online

      Olá! 😁  receba valores cirúrgicos pelo WhatsApp agora mesmo.

      Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

        Atendimento Orelhinha

        Online

        Olá! 😁  Tire todas as suas dúvidas via WhatsApp.

        Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

        18:20









          Nossa agenda de março já está definida!

          Cadastre-se e confira as datas disponíveis para realizar sua cirurgia







            Atendimento Orelhinha

            Online

            Olá! 😁  Tire todas as suas dúvidas via WhatsApp.

            Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

            18:20