diminuir a orelha de abano naturalmente

Existe como diminuir a orelha de abano “naturalmente”?

Se você chegou até aqui com essa mesma dúvida que está no título desse conteúdo, infelizmente a resposta é “não“. Isso mesmo, não tem como diminuir a orelha de abano naturalmente. Mas também não significa que você precisa se desesperar por conta disso.

Além de tratamentos alternativos que nem sempre geram o resultado esperado, existe uma solução para esse problema: a otoplastia. Mas como ela pode ajudar a resolver essa situação? Será que ela é definitiva ou tem chances de retornar à posição original?

Hoje falamos sobre este tema e as opções de tratamento atuais. É só continuar a leitura deste conteúdo para tirar todas essas dúvidas e muito mais!

O que é a orelha de abano?

A orelha de abano é uma condição caracterizada por orelhas que se projetam para fora em um ângulo maior do que o normal em relação à cabeça. Essa é uma característica que pode ser evidente desde o nascimento e, em muitos casos, é uma característica genética passada de geração em geração.

Ou seja, o problema não está relacionado a hábitos ou ações do indivíduo, mas sim à sua constituição física. Se trata de um desenvolvimento anatômico específico que acontece durante a gestação, normalmente, que é o período em que as estruturas da orelha começam a se formar e se desenvolver.

Em alguns casos, ocorre uma falha no desenvolvimento dessas estruturas, resultando em orelhas que se projetam mais do que o desejado. Essa condição é determinada por fatores genéticos e não pode ser controlada ou alterada por métodos naturais.

diminuir orelha de abano sem cirurgia

Quando é feito o diagnóstico da orelha de abano?

O diagnóstico da orelha de abano geralmente é feito durante a infância, quando as características faciais estão se desenvolvendo. Se um indivíduo ou um parente notar que a criança possui orelhas proeminentes, é importante procurar por ajuda profissional para entender quais são os tratamentos.

Normalmente, um médico especializado em otorrinolaringologia ou cirurgia plástica é quem pode fornecer um diagnóstico adequado.

Também, vale destacar que a orelha de abano não costuma estar associada a outras condições ou sintomas. Ou seja, não causa dor, por exemplo. Todavia, sabemos que, infelizmente, os impactos emocionais podem ser grandes, especialmente entre crianças, que podem sofrer com o bullying e os impactos desta violência.

Quais são as opções de tratamento para a orelha de abano?

Como falamos lá no início deste texto, não tem como diminuir a orelha de abano naturalmente, certo? 

No entanto, fazendo rápida pesquisa no Google ou nas redes sociais, encontramos uma série de tratamentos “alternativos”, que prometem resolver a questão da orelha de abano de maneira menos invasiva que a cirurgia de otoplastia. Estes tratamentos alternativos, na maior parte das vezes, acabam não gerando os resultados esperados, além de alguns deles não serem nem mesmo recomendados em determinados momentos.

Alguns desses métodos não são apenas ineficazes, mas também podem ser prejudiciais, causando desconforto e irritação na pele. O que acha, então, de conhecer um pouco mais sobre as opções de tratamento para a orelha de abano? Confira!

Harmonização e otomodelação

Nos últimos anos, surgiram algumas alternativas de tratamento para a orelha de abano, como a chamada harmonização ou otomodelação. Esses métodos alegam ser menos invasivos do que a cirurgia, mas têm limitações significativas.

Estes métodos alternativos e ditos menos invasivos podem envolver a aplicação de preenchimentos dérmicos para corrigir o ângulo da orelha ou a utilização de fios para reposicionar as orelhas em uma posição que deixe o paciente menos desconfortável do ponto de vista estético.

No entanto, é importante ressaltar que esses tratamentos alternativos não são amplamente recomendados pela maioria dos médicos especializados em orelhas proeminentes.

Eles são considerados menos eficazes em comparação com a cirurgia de otoplastia, e os resultados podem ser temporários ou insatisfatórios. Além disso, esses métodos podem envolver riscos e complicações, e a segurança a longo prazo ainda não foi completamente estabelecida.

Uso de faixas ou adesivos

O uso de faixas e adesivos para tentar corrigir a orelha de abano não é recomendado, especialmente em bebês. Essas abordagens não apenas demonstraram ser ineficazes na correção da condição, mas também podem causar desconforto e irritação na pele sensível dos bebês.

Além disso, a delicada anatomia das orelhas em desenvolvimento pode ser prejudicada por tentativas não profissionais de manipulação. Ou seja, uma simples faixa ou adesivo pode acabar não só não resolvendo o problema, mas criando outros cenários prejudiciais.

Mas vale sempre ressaltar: é fundamental enfatizar a importância de buscar orientação médica adequada e considerar opções de tratamento seguras e eficazes, como a cirurgia de otoplastia, quando necessário.

Outro ponto importante é que, até o momento, ainda não há evidências científicas sólidas para apoiar a segurança a longo prazo e a eficácia desses tratamentos alternativos. Portanto, os médicos tendem a optar por abordagens comprovadas e estabelecidas.

Cirurgia de otoplastia

A cirurgia de otoplastia é a opção mais eficaz e permanente para corrigir a orelha de abano. É um procedimento cirúrgico que reposiciona as orelhas, criando um ângulo mais natural em relação à cabeça. Podemos dizer que se trata do padrão ouro quando o assunto é orelha de abano.

A otoplastia é realizada por um cirurgião plástico experiente e envolve uma série de etapas cuidadosamente planejadas:

  • Anestesia: o paciente é anestesiado para garantir conforto durante o procedimento;
  • Incisão: o cirurgião faz uma pequena incisão atrás da orelha, permitindo o acesso às estruturas cartilaginosas;
  • Reposicionamento: as estruturas da orelha são remodeladas e reposicionadas para criar uma aparência mais natural;
  • Sutura: a incisão é fechada com suturas e, geralmente, não deixa cicatrizes visíveis.

A cirurgia de otoplastia é altamente eficaz e, em muitos casos, proporciona resultados permanentes. O risco de recidiva (ou seja, a orelha “voltar”) é muito baixo, cerca de 2% no Doutor Orelhinha, o que a torna uma opção confiável para aqueles que desejam corrigir a orelha de abano.

É importante ressaltar que a otoplastia é geralmente realizada em crianças a partir dos 6 anos de idade, quando a orelha já atingiu um desenvolvimento suficiente. No entanto, adultos também podem optar por esse procedimento a qualquer momento.

Existe como diminuir a orelha de abano naturalmente? Considerações Finais

No final das contas, a solução mais eficiente e permanente para a orelha de abano é a otoplastia. Procure orientação médica e conte com profissionais qualificados para fazer um procedimento que resolve todos os problemas.

Agora que você já se convenceu de que não existe como diminuir a orelha de abano natural, o que acha de conhecer mais sobre o procedimento cirúrgico que vai solucionar esse problema? Confira o nosso guia completo sobre o que é otoplastia!

Artigo revisado pelo: Dr. Marcelo Assis
CRM: SP 93498  

Cirurgias de orelhas

Tire suas dúvidas sobre cirurgias de orelhas

Preencha os campos a baixo e fale conoso 



    Outras pessoas também leram

    Preencha os campos a baixo para iniciar sua ligação gratuitamente.





      Atendimento Orelhinha

      Online

      Olá! 😁  receba valores cirúrgicos pelo WhatsApp agora mesmo.

      Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

        Você acabou de ganhar um

        Receba os valores da cirurgia e todos os detalhes imediatamente no seu WhatsApp!







          Atendimento Orelhinha

          Online

          Olá! 😁  Tire todas as suas dúvidas via WhatsApp.

          Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

          17:12









            Nossa agenda de julho já está definida!

            Cadastre-se e confira as datas disponíveis para realizar sua cirurgia







              Atendimento Orelhinha

              Online

              Olá! 😁  Tire todas as suas dúvidas via WhatsApp.

              Para iniciar a conversa, preencha os campos abaixo:

              17:12